Um alívio na sede: a beleza das fontes de água potável de Paris

As fontes de água potável de Paris são mais do que simplesmente uma utilidade para quem está passeando pela Cidade Luz, muitas delas trazem também muita beleza e charme, o que combina muito com a própria história da capital francesa. Ao todo são aproximadamente 120 fontes de água potável, espalhadas pelos 20 arrondissements. E você pode beber a água sem medo algum, pois há um controle rigoroso e quase diário da qualidade.

Fontes de água potável em Paris

Foi na idade média que as fontes de água potável começaram a ser construídas na capital francesa, pois naquela época não havia uma rede de distribuição tão eficaz como a atual. Era uma necessidade da época, pois quase ninguém tinha água encanada em casa e precisava ir até uma destas fontes para beber e fazer as coisas do dia a dia. Neste período as fontes eram abastecidas por aquedutos ou mesmo desviadas do rio Sena ou pequenos riachos.

Hoje você pode encontrar estas fontes em locais bem conhecidos, em pontos turísticos de destaque da cidade. Alguns exemplos são na Prefeitura de Paris (Hôtel de Ville), Catedral de Notre Dame, Louvre, Jardin de Luxembourg, Jardins de Tuilleries, Montmartre (Sacre-Coeur), e também perto da Torre Eiffel. Cada uma guarda sua particularidade, umas em forma de torneirinha, outras mais estilosas. Não há dúvidas que as mais belas são as conhecidas "Fontaines Wallace", que são aquelas em forma de estátuas, várias delas do século XVIII.

Vale lembrar que em 2010 a prefeitura de Paris iniciou um projeto para implantar fontes de água com gás por toda a cidade. Atualmente já existem 6, nas quais você pode beber gratuitamente o quanto quiser. Os endereços são: na entrada do Parc André Citroën; no Jardim d'Eoli; nas Berges do Seine; no Parc Martin Luther King, no Jardin de Reuilly e a mais nova fica na rue Neuve-Tolbiac, no número 19 (próximo à Biblioteca Nacional).  Se você quiser saber onde estão as fontes pode clicar aqui neste mapa.

Aproveite para conhecer todos estes pontos turísticos com a Minha Paris, com todo conforto e segurança.

O que fazer no calor em Paris?

É uma grande verdade que a imagem de Paris está ligada ao glamour dos dias frios, dos casacos de pele e de todo o charme da cidade mais linda do mundo. Mas pouco se fala dos dias de calor, quando as temperaturas ultrapassam os 30 graus e transforma a Cidade Luz em sauna. Se você virá à Paris no verão, nãos e desespere: tem muita coisa para fazer e se divertir ainda que a temperatura esteja lá em cima. 

A primeira coisa que se tem a favor é que os dias ficam mais longos, com o sol nascendo por volta das 6h30 da manhã e se pondo em torno das 22hs. O que isso significa? Muito mais tempo para apreciar a beleza de Paris! Além disso, o fato de usar roupas mais leves dá muito mais disposição para caminhar e conhecer cada canto da cidade. 

O que fazer no calor em Paris? 

Quem disse que Paris não tem praia? A “Paris Plage” funciona durante boa parte do verão e é uma ótima opção para quem quer se refrescar e curtir um clima praiano às margens do rio Seine. Ela fica sempre à margem direita do rio, entre a Pont des Arts e a Pont de Sully, ou então na Bassin de la Vilette, no Quai de la Loire. 

Fazer um piquenique ao entardecer aos pés da torre Eiffel ou em algum outro parque é sem dúvidas uma ótima pedida para enfrentar o calor. Se no Brasil é considerado “farofa”, em Paris é o que há de mais normal, tanto para turistas quanto para moradores da cidade. A única ressalva é olhar antes o horário de fechamento do parque, para não ficar na mão depois.

Neste período acontecem diversos cursos de dança gratuitos às margens do rio Sena, o que é um convite mais do que justo para quem gosta de dançar e se divertir! 

Outra grande tradição da cidade no verão são os peniches, que são barcos estacionados à margem esquerda do Sena, em frente à Bibliothèque Nationale de France. A vantagem é o clima mais úmido e o fato de serem afastados do barulho do centro.

Toda a região do Canal Saint-Martin também se destaca neste período mais quente, sendo considerada uma das áreas mais descoladas da cidade. São diversas atividades disponíveis lá para adultos e crianças, o que vale a pena conferir. 

Esqueça o metrô e os ônibus e alugue uma Velib’, sistema de transporte público de bicicletas de Paris. Qualquer pessoa pode alugar e conhecer a cidade sobre duas rodas.

Não podemos deixar de falar dos bosques da cidade, o que é sem dúvidas um dos melhores programas para os dias quentes. O Bois de Boulogne e o Bois de Vincennes são belíssimos e você vai se refrescar bastante em meio à natureza.

Não se esqueça de que a Minha Paris leva você para todos os atrativos de Paris e região com todo conforto e segurança (e ar condicionado!). Conheça nossos serviços!

Fazer piquenique em Paris é uma experiência única!

Ver pessoas fazendo piquenique em Paris é uma das coisas mais comuns, o que se justifica pelos belíssimos e diversos espaços que estão disponíveis para esta atividade. Se você vem à Cidade Luz, não deixe de se juntar aos franceses: passe em um mercado, compre petiscos e bebidas e aproveite os dias de sol! 

Para facilitar um pouco sua escolha de onde fazer um piquenique em Paris, seguem algumas boas sugestões. 

Onde fazer piquenique em Paris? 

Tanto o jardim de Luxembourg quanto o de Tuileries possuem ótimos espaços para fazer um piquenique. A questão é que, no primeiro, os belíssimos espaços gramados nem sempre estão acessíveis, em quanto no segundo não há grama. De toda forma, nos dois casos, pode-se estender um pano no chão ou utilizar as famosas cadeiras verdes para ficar à vontade. 

Outras opções mais tranquilas são os parques e jardins Buttes de Chaumont, Francs-Bourgeois-Rosiers, Catherine-Labouré e Monceau. Por serem menos badalados, apesar de belíssimos, permitem um momento mais tranquilo. 

Fazer um piquenique se às margens do Sena além de uma delícia é quase uma tradição em Paris. Os destaques são para a região próxima à ponte Alexandre III, de onde é possível ver o por do sol. As margens do Canal Saint Martin também são ótimas opções para quem quer descansar comendo alguma coisa e conversando com os amigos, enquanto admira uma linda paisagem. 

Alguns lugares são bastante glamorosos, excelentes para fazer um piquenique, mas o grande número de turistas e de gente passando a todo momento pode atrapalhar um pouco. Um bom exemplo é a região de Champs de Mars, que está aos pés da Torre Eiffel. 

O que você precisa levar em conta na hora de decidir é o que você quer realizar com o seu piquenique, se é um sonho ou se é apenas um momento tranquilo e gostoso em Paris. O que não falta na cidade são lugares que permitem gastar boas horas apenas contemplando a beleza e sentindo o que se tem de melhor em Paris.

A Páscoa na França: um pouco diferente do que conhecemos

Se você está acostumado a receber os ovos de páscoa no domingo, saiba que Páscoa na França tudo isso acontece de maneira um pouco diferente. A começar pelo feriado, que não é comemorado no domingo, mas na segunda-feira (Lundi de Pâques).
Na verdade, mesmo os sinos das igrejas, que todos os dias soam para convidar os fiéis para as missas, durante a chamada Semana Santa ganham outra rotina. É uma tradição seguida há séculos, onde os sinos silenciam na quinta-feira e continuam assim até o sábado à noite. Somente no domingo eles voltam a soar, sendo chamados de Les cloches de Pâques.

Assim como acontece no Brasil, a Páscoa é também comemorada presenteando amigos e familiares com chocolates, principalmente os famosos ovos de Páscoa. É uma festa para a criançada, que fica agitadíssima com as brincadeiras de encontrar os ovos escondidos pela casa. É realmente uma grande festa! 

Muitas famílias que moram em Paris aproveitam o feriado prolongado para visitar os parentes em outra cidade ou mesmo para descansar em outra cidade, uma forma de fugir um pouco da agitação da cidade grande. O mais importante de tudo é viver cada momento da Páscoa com alegria, de uma maneira verdadeiramente doce.

Cultura Francesa: compreender é a chave para uma viagem tranquila

A cultura francesa possui algumas diferenças marcantes em relação às demais que encontramos em outros países, apesar de possuir algumas semelhanças também. Muitas pessoas que passam pelo país costumam levar de volta, além das boas lembranças da cidade luz, alguma reclamação de um serviço mal prestado ou de um atendimento mais ríspido. 

Na verdade o que acontece é que, em boa parte das vezes, as pessoas é que não compreendem as particularidades da cultura francesa, dificultando a comunicação entre o turista e os prestadores, o que pode gerar conflitos e erros desagradáveis. Apesar de se tratar de um país que tem o turismo como uma das principais atividades econômicas, os franceses não estão dispostos a abandonarem sua cultura, costumes e valores em função de um atendimento.

Por isso a importância de que o turista busque compreender antecipadamente estas particularidades para evitar problemas e tornar sua estadia ainda melhor. Existe um código básico que é: sorria sempre, seja educado e se esforce para falar as expressões mágicas “bonjour”, “s’il vous plaît” e “merci” (bom dia, por favor e obrigado).

Um bom exemplo é para pedir informações. Se você precisar perguntar alguma coisa para um francês, faça-o com um sorriso no rosto e não espere que ele responda sorrindo, pois não é sempre que acontece. O código é assim: quem pede, é quem sorri. Outra dica é não interceptar alguém que anda pela rua apressadamente, pois ele certamente estará atrasado ou com horário apertado e possivelmente não irá parar para ajudar. Procure pessoas que caminham mais lentamente, vá a um estabelecimento comercial, etc. 

Na França não é como na América Latina: se você fica bravo, você não vai conseguir nada. Na Europa amabilidade abre as portas, enquanto a agressividade ou demonstrações de raiva vão fechá-las. É sempre bom lembrar que ninguém quer cometer erros ou prejudicar um cliente. Acidentes acontecem e o melhor é sempre tentar resolver os imprevistos da forma mais cordial possível.

Gorjeta: mais do que um “merci”, um ato de gentileza

Em todas as regiões francesas há um costume de se dar gorjetas aos garçons ao pagar pela refeição, mesmo que tenha sido apenas um cafezinho. Não é obrigatório, é claro, mas trata-se de uma maneira demonstrar o quanto você ficou contente pelo serviço prestado. Ou seja, é um petit cadeau para a pessoa que acaba de lhe atender.

Atualmente, existe um senso comum que afirma que os garçons em Paris são mal-humorados, que não atendem bem e que, portanto, não merecem gorjetas. Mas não é bem assim como dizem. Bons atendentes existem em todos os lugares do mundo, assim como aqueles que não praticam um bom serviço. Sempre precisamos contar com um pouco de sorte quando chegamos a um restaurante e na Cidade Luz não é diferente.

Por isso, deixe de lado o que os outros dizem e viva a experiência você mesmo! Fique atento ao atendimento que você recebe em um restaurante, por exemplo. Faça o teste e retribua a gentileza do garçom com algo além do bom e velho merci. Esta é uma forma de agradecer e reforçar a importância do bom atendimento em um estabelecimento.

Não há um valor definido para a gorjeta, apesar de que, normalmente, as pessoas sempre dão algo entre 5% e 10% do valor total da conta. O mesmo vale para os demais serviços de turismo, como os hotéis por exemplo. Tudo vai depender do atendimento que você está recebendo, da gentileza e atenção dos funcionários com os seus pedidos e necessidades.

Mas lembre-se sempre: o mais importante é aproveitar o máximo que Paris tem para oferecer e tornar sua estadia na Cidade Luz realmente inesquecível!

Paris é segura, mas fique atento!

Sobre segurança em Paris

Para quem vem do Brasil, uma cidade como Paris não pode ser considerada violenta. Aqui pega-se transporte público e anda-se pelas ruas à noite e de madrugada com tranquilidade. Não há um sério risco de agressão ou de assalto à mão armada, mas, como toda cidade grande e que atrai turistas, tem seus problemas.

Os batedores de carteira e golpistas muito perspicazes são os que mais preocupam. Ninguém vai atacá-lo com uma arma, mas os infratores percebem quem são os turistas, distraídos, admirando os monumentos ou procurando seus rumos com mapas na mão.

Deixe o seu passaporte e outros documentos no hotel. Em Paris não é necessário sair com documentos. Uma fotocópia é suficiente e saia  principalmente com o cartão contendo o endereço do hotel. Pode haver 50 hotéis com nome similar, por isso ande sempre com o endereço de onde está hospedado.

É aconselhável não deixar nada no bolso de trás das calças e levar o mínimo de valor necessário.  Coloque dinheiro e cartões de crédito dentro de sua roupa.Se houver um cofre no hotel, deixe seus objetos de valor lá mesmo.

Os “batedores de carteira” (pick-pockets) ou “descuidistas”, como são chamados na França os aproveitadores, também podem atuar no lobby do hotel. Eles costumam agir principalmente quando há todo um grupo descendo ou subindo de um ônibus, ou nos cafés dos hotéis, disfarçados de turistas como você.

Por favor, não deixe sem atenção bolsas e nem telefones portáteis à mesa de bares ou cafés.

GOLPES - E nunca, jamais, em tempo algum, pare para ouvir moças com papéis de abaixo-assinado a favor de ninguém; se alguém encontrar um anel na rua e perguntar se é seu siga em frente sem dar confiança e nunca pare para olhar os truques de adivinhação do tipo "onde está o dinheiro". Em locais turísticos é preciso toda a atenção com seus pertences.