Disneyland Paris: viva o sonho do universo Disney!

A Disneyland Paris, também conhecido como Eurodisney, é um parque temático do grupo Disney, que está situado na região de Marne-la-Vallée, cerca de 30 quilômetros ao leste de Paris, no departamento Seine-et-Marne. Ele foi criado em 1992 e já recebeu mais de 250 milhões de visitantes, se tornando o destino turístico mais visitado da Europa.

Os parques da Disneyland Paris possuem atrativos tanto para as crianças quanto para os adultos. Ao todo, a Eurodisney conta com dois parques de diversões, quatorze hotéis, três campos de golfe de nove buracos e a Disney Village, que é um lugar de diversão único que contém muitos restaurantes, bares e lojas.  

Atrativos da Disneyland Paris 

Parque Disneyland: Este é um dos principais atrativos da Disneylad Paris, pois é onde se encontram os personagens Disney, diversos brinquedos temáticos, além dos tradicionais desfiles dos personagens e o famoso show de encerramento, que conta com performances de som, luz e fogos de artifícios. É sem dúvidas uma terra não tão distante que se transforma em um reino mágico onde os contos de fadas que não têm fim. 

O local é colorido, cheio de vida e conta com uma estrutura de alto padrão de segurança, o que proporciona a segurança necessária para que a diversão e a imaginação não tenham limites. 

Parque Walt Disney Studios: Quem nunca sonhou em conhecer os bastidores dos filmes e animações da Disney? Este parque proporciona um mergulho no mundo imaginário das ficções mais conhecidas do mundo. É sem dúvidas um lugar de diversão sem limites para adultos e crianças. 

Você não pode deixar de conhecer a Disneyland Paris, uma viagem inesquecível no universo Disney que você vai levar para o resto da vida. Você fará uma viagem pelo inigualável mundo dos personagens Disney, em uma experiência mágica que só a Disneyland Paris pode proporcionar.  

Se você deseja ir à Disneyland Paris é só consultar nossos serviços e desfrutar de uma experiência incomparável!

Lido é beleza, requinte e magia para a sua noite em Paris

O Lido é o maior cabaré de Paris e um dos mais importantes do mundo, motivo que o coloca entre os pontos turísticos mais visitados da cidade. Inaugurado em 1946 no número 78 da avenida mais bonita do mundo, a Champs Élysées, foi transferido em 1977 para o número 116 bis, onde está localizado até hoje. Os responsáveis pela criação do Lido foram os irmãos italianos Joseph e Louis Clerico. Foram eles também que inventaram o conceito de jantar-espetáculo, que hoje é copiado em todo o mundo. O Lido nunca deixou de encantar a todos com seus teatros-revistas repletos de plumas, paetês e sonhos.

A trupe do Lido foi criada por Margaret Kelly, que é conhecida como a Miss Bluebell. Atualmente, 42 Bluebell Girls formam a elite das bailarinas de cabaré. Todas elas possuem formação em balé clássico e são selecionadas a dedo, tendo sempre estatura acima de 1,75 m.

Hoje, o Lido se estende por uma área de 7.500 m², com uma sala panorâmica sem colunas que oferece uma visibilidade perfeita para os 1.150 espectadores. Com uma maquinaria única no mundo, o ambiente permite integrar aos espetáculos uma piscina, uma tela de água e uma pista de patinação com gelo de verdade. Entre as apresentações mais importantes da história do cabaré estão a de Shirley MacLaine, O Gordo e o Magro e também Elton John.

A localização privilegiada, o requinte e a beleza dos espetáculos transformaram o Lido em um ponto de encontro de celebridades nacionais e internacionais. Os shows contam com cenários deslumbrantes, figurinos caríssimos, coreografias impecáveis e muita animação, tudo isso aliado aos efeitos de iluminação que contribuem para criar uma atmosfera mágica. O Lido recebe em média mais de meio milhão de visitantes por ano.

Todo este público não vai ao Lido apenas pelos seus shows e espetáculos, mas também pelo fato de que lá está um dos melhores restaurantes de Paris. A requintada cozinha francesa do chef Philippe Lacroix, combinado com um show deslumbrante, vai transformar sua noite de magia em uma festa realmente inesquecível.
A Minha Paris pode levar você até o Lido. Consulte mais detalhes aqui no site e surpreenda-se!

Foie gras: tradição francesa no Natal

O foie gras (fígado gordo) é um alimento à base de fígado fresco de gansos ou patos e que está entre as principais iguarias da culinária francesa. Com a chegada do Natal as tradições ficam ainda mais afloradas, principalmente nos alimentos que enchem as grandes mesas e o foie gras tem seu lugar garantido nesta festa. 

Existem diversos tipos de foie gras, sendo que o mais apreciado é o foie gras entier (foie gras inteiro). Ele contém no máximo dois pedaços inteiros de dois fígados diferentes. Já o bloc de foie gras (bloco de foie gras) é o mais consumido atualmente. Esta é uma receita criada mais tarde, em 1954, à base de uma mistura de diferentes fígados, formando uma pasta bem consistente. 

Mas não podemos esquecer também de outras variantes importantes desta iguaria, como o bloc de foie gras avec morceaux (Bloco de foie gras com pedaços), que é um creme de foie gras com pedaços de fígado adicionados após a preparação. Tem ainda a mousse de foie gras, que nada mais é do que uma emulsão de fígado à base de um produto rico em gordura. 

A fabricação do foie gras é protegida e segue padrões rígidos para que não se perca a qualidade do produto. Por isso costuma-se dizer que o segredo de obtenção de um bom “foie gras” está ligado à qualidade do fígado fresco utilizado em sua fabricação. Um selo arredondado, de cor amarela e azul, contido nas embalagens dos produtos certificados, é uma garantia desta qualidade. O selo é uma certificação de que os animais passaram pelo processo de engorda respeitando uma série de regras estipuladas. 

Nas ceias de Natal francesas as famílias consomem tradicionalmente o foie gras frio como entrada. Também se pode comê-lo quente, sem adicionar qualquer ingrediente. No caso do foie gras inteiro, é aconselhado degustá-lo simplesmente, com garfo e faca (como uma boa carne). Uma boa opção é que ele seja acompanhado de um vinho licoroso, como o Sauternes, por exemplo. 

Monte Saint-Michel: beleza ímpar que resistiu ao tempo

O Monte Saint-Michel foi erguido sobre uma ilhota granítica, bem no meio de uma imensa baía invadida pelas maiores marés da Europa, se tornando um lugar especial para a história francesa. Ele está situado na parte sudoeste do departamento da Mancha e da região da Baixa Normandia, sendo uma importante comuna da França.

O lugar atrai turistas de todo o mundo, tanto por sua história quanto pela beleza ímpar. É o terceiro ponto mais visitado por turistas em toda a França, ficando atrás apenas da Torre Eiffel e do Castelo de Versalhes. Patrimônio Mundial da Unesco, o Monte Saint-Michel recebe cerca de 3,5 milhões de visitantes por ano.  

Segundo conta a história, foi a pedido do Arcanjo São Miguel, "chefe das milícias celestes", que o então bispo de Avranches, Aubert, mandou construir a primeira igreja no local, que foi consagrada no dia 16 de outubro de 709. Após a instalação da comunidade de beneditinos em 966, a pedido do Duque da Normandia, foi erguida a igreja pré-românica, ainda antes do ano mil. Já no século XI, a igreja abacial românica foi fundada sobre um conjunto de criptas, no nível do pico do rochedo, juntamente com as primeiras construções conventuais.

Foi uma doação do rei de França Filipe Augusto, no século XIII, que permitiu a construção do conjunto gótico do Monte Saint-Michel, conhecida como “a Maravilha”: dois edifícios de três andares, coroados pelo claustro e pelo refeitório, que constituíam o verdadeiro lugar de vida dos monges. A Guerra dos Cem anos Nos séculos XIV e XV levou à implantação de construções militares para a proteção da abadia, o que permitiu resistir a um cerco de mais de trinta anos. Destruído em 1421, o coro românico da igreja abacial foi substituído pelo coro gótico flamboyant no fim da Idade Média.

O Monte Saint-Michel foi transformado em prisão sob a Revolução e o Império, o que permitiu a implantação de uma política de restauração a partir de 1862. Foi nesta época (1897) que uma estátua de bronze dourado, representando o santo epônimo a derrubar o dragão foi colocado no ponto mais alto da igreja, a 170 metros acima do nível do mar.

Com uma superfície de cerca de 500 km², a baía do Monte Saint-Michel é considerado a mais vasta extensão francesa de prados salgados e de pôlderes, se diferenciando pela excepcional amplitude entre a maré alta e a maré. Além disso, é grande a diversidade de ambientes naturais presentes na região, que conta com uma fauna, flora e luzes deslumbrantes.

Na parte sul do rochedo e cercado por muralhas erguidas nos séculos XII e XV, o vilarejo conta com grande número de casas, que também são consideradas como monumentos históricos, além de pequenos museus e comércio voltado para o turismo. É possível experimentar também uma culinária típica do local, como o cordeiro de prado salgado ou a omelete da Mère Poulard, cujo albergue foi aberto em 1888 e mantém a tradição até hoje.

Se você também quer admirar de perto toda a beleza e história do Monte Saint-Michel com conforto e segurança é só consultar os passeios da Minha Paris para esta e outras regiões!

Cultura Francesa: compreender é a chave para uma viagem tranquila

A cultura francesa possui algumas diferenças marcantes em relação às demais que encontramos em outros países, apesar de possuir algumas semelhanças também. Muitas pessoas que passam pelo país costumam levar de volta, além das boas lembranças da cidade luz, alguma reclamação de um serviço mal prestado ou de um atendimento mais ríspido. 

Na verdade o que acontece é que, em boa parte das vezes, as pessoas é que não compreendem as particularidades da cultura francesa, dificultando a comunicação entre o turista e os prestadores, o que pode gerar conflitos e erros desagradáveis. Apesar de se tratar de um país que tem o turismo como uma das principais atividades econômicas, os franceses não estão dispostos a abandonarem sua cultura, costumes e valores em função de um atendimento.

Por isso a importância de que o turista busque compreender antecipadamente estas particularidades para evitar problemas e tornar sua estadia ainda melhor. Existe um código básico que é: sorria sempre, seja educado e se esforce para falar as expressões mágicas “bonjour”, “s’il vous plaît” e “merci” (bom dia, por favor e obrigado).

Um bom exemplo é para pedir informações. Se você precisar perguntar alguma coisa para um francês, faça-o com um sorriso no rosto e não espere que ele responda sorrindo, pois não é sempre que acontece. O código é assim: quem pede, é quem sorri. Outra dica é não interceptar alguém que anda pela rua apressadamente, pois ele certamente estará atrasado ou com horário apertado e possivelmente não irá parar para ajudar. Procure pessoas que caminham mais lentamente, vá a um estabelecimento comercial, etc. 

Na França não é como na América Latina: se você fica bravo, você não vai conseguir nada. Na Europa amabilidade abre as portas, enquanto a agressividade ou demonstrações de raiva vão fechá-las. É sempre bom lembrar que ninguém quer cometer erros ou prejudicar um cliente. Acidentes acontecem e o melhor é sempre tentar resolver os imprevistos da forma mais cordial possível.

Castelo de Chantilly

O castelo de Chantilly é um dos mais bonitos da França, situado na região de Picardie. Trata-se de uma residência aristocrática, que possui lindas escadarias de mármore, uma decoração requintada com maravilhosas pinturas nos tetos, detalhes revestidos em folhas de ouro, vitrais, esculturas e pratos de luxo.

Ainda que você nunca tenha ouvido nenhuma história sobre o Castelo de Chantilly, o nome certamente traz a lembrança um sabor bem conhecido: neste castelo, durante um banquete oferecido ao rei Luís XIV, foi criado o tão conhecido e apreciado creme chantilly.

Possui o segundo maior acervo de pinturas antigas (anteriores a 1850) da França, ficando atrás apenas da coleção que está no museu do Louvre. É sem dúvida alguma um lugar que deixará qualquer pessoa impressionada com sua beleza, requinte e também com a riqueza das peças dispostas no castelo.

O Museu Condé, situado no interior do castelo, mantém constantemente exposição os pertences pessoais de Louis II de Bourbon-Condé, conhecido como ''Grand Condé'', primo do rei Luís XIV e proprietário do castelo de Chantilly. O acervo dispõe de tesouros e obras de arte que pertenceram a ele, como o "Grande Livro de Horas do duque de Berry" e centenas de manuscritos da época. É lá também que estão algumas das primeiras edições de livros impressos do mundo, incluindo a Bíblia de Guttenberg e o famoso manuscrito iluminista do século XV.

É impossível não se impressionar com a vasta coleção de porcelana antiga que está exposta. Outro atrativo importante do Castelo de Chantilly é o Museu Vivo do Cavalo, considerado o maior do mundo. Ele também está integrado ao Museu Condé. Durante o verão é possível assistir às performances que são realizadas no local, além dos cursos de equitação que são oferecidos para crianças e as famosas corridas de cavalo.

Se você pretende visitar o Castelo de Chantilly, não deixe de conhecer os serviços da Minha Paris para esta e outras localidades francesas!

Castelo de Versalhes: o luxo da realeza, revoluções e guerras

O Castelo de Versalhes é um lugar que todos devem visitar. Não há quem tenha estudado a história política do mundo que não conheça pelo menos um momento importante que tenha se passado em alguma parte da França. Um exemplo dessa importância para o mundo é o Castelo de Versalhes, palco de muitos momentos decisivos para o desenvolvimento francês e mundial nos quatro últimos séculos.

Além de importante, o castelo ou palácio de Versalhes é um admirável testemunho da grandeza do barroco francês, que nos ajuda a fazer um mergulho na história. Ele foi a residência real de vários monarcas. Foi ali, inclusive, que se deu início à tão conhecida Revolução Francesa no final da década de 1780.

Passados aproximadamente 120 anos do fim da revolução, o “Chateau de Versailles” foi o palco escolhido para a assinatura do importante tratado que deu fim à Primeira Guerra Mundial, documento que ficou conhecido na história como Tratado de Versalhes.

Lá você entender melhor como os reis franceses viviam, visitar os apartamentos reais, a Galeria dos Espelhos, os apartamentos cerimoniais da rainha Maria Teresa da Áustria, esposa de Luís XIV e, claro, os famosos jardins da rainha. É um amplo espaço de riquezas construídas e belezas naturais por onde você poderá caminhar por horas e se transportar aos séculos XVII a XIX.

Sua arquitetura rica e impressionante decoração farão você se apaixonar e com certeza querer conhecer melhor a história do lugar. A conservação dos acervos também impressionam todos os visitantes, além da receptividade e suporte oferecidos aos turistas estrangeiros. São disponibilizados guias impressos e audioguias para facilitar a compreensão de todos sobre cada espaço visitado.

Situado nos arredores da capital francesa, o Castelo de Versalhes está há apenas 23 quilômetros de Paris, com acesso fácil por meio de transporte público. Caso você queira mais conforto, é possível contratar os serviços da Minha Paris, que disponibiliza uma visita ao castelo ou mesmo alugar um carro.

Medalha Milagrosa de Paris

A Medalha Milagrosa de Paris e sua história vem  antes da Companhia das Filhas da Caridade, fundada em 1633, foi a obra prima que, juntos, realizaram São Vicente de Paulo e Santa Luísa de Marillac. A Companhia, fiel à sua vocação, desenvolveu-se no mundo inteiro. Quando, um dia de 1830, chegou ao Seminário (noviciado), à rua do Bac, uma jovem borgonhesa, de 24 anos..

As aparições da Virgem Maria à Catarina Labouré e a difusão da Medalha Milagrosa, foram seguidas de uma extraordinária renovação e um aumento de vocações, tanto entre as Filhas da Caridade, como entre os Padre da Missão. O fervor tornou-se aí muito ardente.

Ao passar dos anos, a Companhia continua seu serviço dentro do espírito dos Fundadores: humildade, simplicidade, caridade.

No momento, as Filhas da Caridade estão presentes nos cinco continentes, em 91 países, dentre eles os mais pobres. Elas são mais ou menos umas 20.000 espalhadas pelo mundo. Na Europa, são 13.000. Na França: 1.000.

Allan Kardec & sua Estátua de Bronze

Um fato um tanto quanto curioso aqui em Paris. Existe uma lenda de que Allan Kardec quando sepultado no famoso cemitério de Paris o Père-Lachaise, foram feitos 2 bustos em bronze, um que se encontra no cemitério e o segundo, que foi dado a um grande empresário em Paris.

Dizem que desde a morte de Kardec, o empresário que tem o segundo e único busto em bronze do espírita, e que busca praticar o verdadeiro cristianismo em sua empresa, tem como resultado uma grande prosperidade nos negócios, mas, com o tempo o busto deve ser comprado por outro empresário e conservado, depois de prosperar deve-se vender a outro, e assim sucessivamente.

Hoje a grande curiosidade na cidade, na verdade, é saber nas mãos de quem se encontra o busto de bronze de Kardec, e mais, se ele ainda se encontra em Paris.

Minha Paris, está investigando o paradeiro do busto e sempre que possível deixará você informado deste fato inusitado da cidade luz!

Gorjeta: mais do que um “merci”, um ato de gentileza

Em todas as regiões francesas há um costume de se dar gorjetas aos garçons ao pagar pela refeição, mesmo que tenha sido apenas um cafezinho. Não é obrigatório, é claro, mas trata-se de uma maneira demonstrar o quanto você ficou contente pelo serviço prestado. Ou seja, é um petit cadeau para a pessoa que acaba de lhe atender.

Atualmente, existe um senso comum que afirma que os garçons em Paris são mal-humorados, que não atendem bem e que, portanto, não merecem gorjetas. Mas não é bem assim como dizem. Bons atendentes existem em todos os lugares do mundo, assim como aqueles que não praticam um bom serviço. Sempre precisamos contar com um pouco de sorte quando chegamos a um restaurante e na Cidade Luz não é diferente.

Por isso, deixe de lado o que os outros dizem e viva a experiência você mesmo! Fique atento ao atendimento que você recebe em um restaurante, por exemplo. Faça o teste e retribua a gentileza do garçom com algo além do bom e velho merci. Esta é uma forma de agradecer e reforçar a importância do bom atendimento em um estabelecimento.

Não há um valor definido para a gorjeta, apesar de que, normalmente, as pessoas sempre dão algo entre 5% e 10% do valor total da conta. O mesmo vale para os demais serviços de turismo, como os hotéis por exemplo. Tudo vai depender do atendimento que você está recebendo, da gentileza e atenção dos funcionários com os seus pedidos e necessidades.

Mas lembre-se sempre: o mais importante é aproveitar o máximo que Paris tem para oferecer e tornar sua estadia na Cidade Luz realmente inesquecível!