Veja algumas dicas sobre a culinária francesa

Não há dúvidas de que um dos maiores prazeres que se pode ter em uma viagem e experimentar de maneira mais intensa a culinária local. Principalmente se se tratam de características tão diferentes entre as do seu país de origem e o que você está visitando. Por isso, vamos destacar as delícias da gastronomia francesa, dividindo por pratos específicos de algumas regiões. Vale lembrar que o que se come em Paris é parte de uma culinária que aproveita o melhor de cada região. 

Gastronomia francesa 

Alsácia
Principais cidades: Ribeauvillé, Riquewihr, Eguisheim, Colmar, Strasbourg, Kaisersberg. No caso desta região, a gastronomia sofreu grande influência alemã e seus pratos são bastante pesados, ideais para os meses frios. O destaque é o flammekueche, uma torta salgada preparada com creme de leite, queijo ralado, cebola e bacon. 

Outras receitas: choucroute, baeckeoffe (prato a base de batatas, carnes e legumes, especiarias e vinhos branco), knack (salsicha de Strasbourg feita com porco e vaca), a sobremesa chamada kouglof ou kougelhopf (brioche com passas e rum ou kitsch). 

Bretanha 

As principais cidades são Saint Malo, Cap Fréhel, as falaises de Plouha, a ilha de Bréhat, Ploumanach. Os destaques são os crepes salgados, mais conhecidos como galette. 

Outras receitas: plateaux de frutos do mar, principalmente as ostras, mexilhões (moules), caranguejos, vieiras (coquilles saint jacques), salsichas de algas e patês de sardinha (rilletes de sardine). Além disso, o pernil de cordeiro de Bréhat e os queijos (trappiste, curé nantais, tome de campénéac, chandamour, petit béret) também merecem destaque.

Normandia 

A região se destaca pela produção de derivados do leite, como queijos, cremes, etc. e da cidra. O destaque da culinária são os pratos à base do chamado Cordeiros de pré-salé.

Outras receitas: queijos camembert, pavé d’Auge, pont l’Evêque, livarot, carré de Bray, neufchâtel; pernil de cordeiro (gigot d’agneu du pré-salé); boudin blanc (salsicha feita de carne branca) de Essay, boudin noir (embutido feito com sangue de porco) de Mortagne, além da cidre e calvados.

A riquíssima culinária francesa oferece tudo isso e muito mais. Aos poucos vamos dando mais dicas do que comer para mergulhar na cultura francesa pelos sabores. Vale lembrar que todos estes lugares você pode visitar com a Minha Paris, com todo conforto e segurança.

Foie gras: tradição francesa no Natal

O foie gras (fígado gordo) é um alimento à base de fígado fresco de gansos ou patos e que está entre as principais iguarias da culinária francesa. Com a chegada do Natal as tradições ficam ainda mais afloradas, principalmente nos alimentos que enchem as grandes mesas e o foie gras tem seu lugar garantido nesta festa. 

Existem diversos tipos de foie gras, sendo que o mais apreciado é o foie gras entier (foie gras inteiro). Ele contém no máximo dois pedaços inteiros de dois fígados diferentes. Já o bloc de foie gras (bloco de foie gras) é o mais consumido atualmente. Esta é uma receita criada mais tarde, em 1954, à base de uma mistura de diferentes fígados, formando uma pasta bem consistente. 

Mas não podemos esquecer também de outras variantes importantes desta iguaria, como o bloc de foie gras avec morceaux (Bloco de foie gras com pedaços), que é um creme de foie gras com pedaços de fígado adicionados após a preparação. Tem ainda a mousse de foie gras, que nada mais é do que uma emulsão de fígado à base de um produto rico em gordura. 

A fabricação do foie gras é protegida e segue padrões rígidos para que não se perca a qualidade do produto. Por isso costuma-se dizer que o segredo de obtenção de um bom “foie gras” está ligado à qualidade do fígado fresco utilizado em sua fabricação. Um selo arredondado, de cor amarela e azul, contido nas embalagens dos produtos certificados, é uma garantia desta qualidade. O selo é uma certificação de que os animais passaram pelo processo de engorda respeitando uma série de regras estipuladas. 

Nas ceias de Natal francesas as famílias consomem tradicionalmente o foie gras frio como entrada. Também se pode comê-lo quente, sem adicionar qualquer ingrediente. No caso do foie gras inteiro, é aconselhado degustá-lo simplesmente, com garfo e faca (como uma boa carne). Uma boa opção é que ele seja acompanhado de um vinho licoroso, como o Sauternes, por exemplo.