Veja algumas dicas sobre a culinária francesa

Não há dúvidas de que um dos maiores prazeres que se pode ter em uma viagem e experimentar de maneira mais intensa a culinária local. Principalmente se se tratam de características tão diferentes entre as do seu país de origem e o que você está visitando. Por isso, vamos destacar as delícias da gastronomia francesa, dividindo por pratos específicos de algumas regiões. Vale lembrar que o que se come em Paris é parte de uma culinária que aproveita o melhor de cada região. 

Gastronomia francesa 

Alsácia
Principais cidades: Ribeauvillé, Riquewihr, Eguisheim, Colmar, Strasbourg, Kaisersberg. No caso desta região, a gastronomia sofreu grande influência alemã e seus pratos são bastante pesados, ideais para os meses frios. O destaque é o flammekueche, uma torta salgada preparada com creme de leite, queijo ralado, cebola e bacon. 

Outras receitas: choucroute, baeckeoffe (prato a base de batatas, carnes e legumes, especiarias e vinhos branco), knack (salsicha de Strasbourg feita com porco e vaca), a sobremesa chamada kouglof ou kougelhopf (brioche com passas e rum ou kitsch). 

Bretanha 

As principais cidades são Saint Malo, Cap Fréhel, as falaises de Plouha, a ilha de Bréhat, Ploumanach. Os destaques são os crepes salgados, mais conhecidos como galette. 

Outras receitas: plateaux de frutos do mar, principalmente as ostras, mexilhões (moules), caranguejos, vieiras (coquilles saint jacques), salsichas de algas e patês de sardinha (rilletes de sardine). Além disso, o pernil de cordeiro de Bréhat e os queijos (trappiste, curé nantais, tome de campénéac, chandamour, petit béret) também merecem destaque.

Normandia 

A região se destaca pela produção de derivados do leite, como queijos, cremes, etc. e da cidra. O destaque da culinária são os pratos à base do chamado Cordeiros de pré-salé.

Outras receitas: queijos camembert, pavé d’Auge, pont l’Evêque, livarot, carré de Bray, neufchâtel; pernil de cordeiro (gigot d’agneu du pré-salé); boudin blanc (salsicha feita de carne branca) de Essay, boudin noir (embutido feito com sangue de porco) de Mortagne, além da cidre e calvados.

A riquíssima culinária francesa oferece tudo isso e muito mais. Aos poucos vamos dando mais dicas do que comer para mergulhar na cultura francesa pelos sabores. Vale lembrar que todos estes lugares você pode visitar com a Minha Paris, com todo conforto e segurança.

Cultura Francesa: compreender é a chave para uma viagem tranquila

A cultura francesa possui algumas diferenças marcantes em relação às demais que encontramos em outros países, apesar de possuir algumas semelhanças também. Muitas pessoas que passam pelo país costumam levar de volta, além das boas lembranças da cidade luz, alguma reclamação de um serviço mal prestado ou de um atendimento mais ríspido. 

Na verdade o que acontece é que, em boa parte das vezes, as pessoas é que não compreendem as particularidades da cultura francesa, dificultando a comunicação entre o turista e os prestadores, o que pode gerar conflitos e erros desagradáveis. Apesar de se tratar de um país que tem o turismo como uma das principais atividades econômicas, os franceses não estão dispostos a abandonarem sua cultura, costumes e valores em função de um atendimento.

Por isso a importância de que o turista busque compreender antecipadamente estas particularidades para evitar problemas e tornar sua estadia ainda melhor. Existe um código básico que é: sorria sempre, seja educado e se esforce para falar as expressões mágicas “bonjour”, “s’il vous plaît” e “merci” (bom dia, por favor e obrigado).

Um bom exemplo é para pedir informações. Se você precisar perguntar alguma coisa para um francês, faça-o com um sorriso no rosto e não espere que ele responda sorrindo, pois não é sempre que acontece. O código é assim: quem pede, é quem sorri. Outra dica é não interceptar alguém que anda pela rua apressadamente, pois ele certamente estará atrasado ou com horário apertado e possivelmente não irá parar para ajudar. Procure pessoas que caminham mais lentamente, vá a um estabelecimento comercial, etc. 

Na França não é como na América Latina: se você fica bravo, você não vai conseguir nada. Na Europa amabilidade abre as portas, enquanto a agressividade ou demonstrações de raiva vão fechá-las. É sempre bom lembrar que ninguém quer cometer erros ou prejudicar um cliente. Acidentes acontecem e o melhor é sempre tentar resolver os imprevistos da forma mais cordial possível.