Conheça Dijon, capital da Borgonha, com a Paris Querido

A França possui muitas cidades badaladas, que as pessoas conhecem ainda que somente pelo nome ou por algum acontecimento histórico que ganhou proporção mundial. Mas algumas localidades são tão importantes quanto estas, apenas não estão tão presentes no imaginário dos turistas estrangeiros. É o caso de Dijon.

Mesmo não estando entre os destinos mais comuns de quem viaja à França, Dijon é uma cidade linda, além de possuir um patrimônio extraordinário. Ela possui grande importância na história da França, pois entre 1363 e 1477, os Grands Ducs transformaram Dijon em uma espécie de centro de arte internacional, sendo considerada também como a capital europeia da época.

Na cidade, que viveu também momentos gloriosos do Renascimento, é possível ver mais de cem edifícios construídos pelas famílias burguesas e parlamentares do século XV até a Revolução. Outro destaque é a belíssima Notre Dame de Dijon, que é considerada uma joia da arquitetura gótica do século XIII.

É impossível deixar de conhecer ainda as demais construções e monumentos, como o Palácio da Justiça e do Palácio des Ducs e des Etats de Bourgogne, o Mercado, entre outros. Para não perder o que há de mais importante na cidade, basta seguir o famoso Circuito da Coruja (Parcour de la Chouette) que foi criado pelo Ofício do Turismo e indica com pequenas plaquinhas no chão (com a marca da coruja) o que há de mais importante.

Dijon é mais um dos belíssimos destinos que seus clientes poderão conhecer com todo o conforto e segurança que merecem, utilizando os serviços da Minha Paris.

Visite o Museu do Vinho com a Minha Paris

Localizado no 16º arrondissement, bem perto dos jardins do Trocadéro, as antigas caves da Abbaye de Passy, que foram pedreiras entre o século XIII e XVIII, abrigam hoje o Museu do Vinho. É sem dúvidas um dos lugares que você precisa visitar na capital francesa.

Bem na entrada do museu é possível observar a presença de várias fontes de águas minerais subterrâneas, algumas delas descobertas na região chamada de Passy ainda em meados do século XVII. Foi este o que motivou o nome dado à Rue des Eaux. 

Museu do vinho 

Atualmente ainda é possível apreciar muito mais do que os registros históricos das escavações geológicas feitas na região, mas aproveitar para conhecer melhor o processo de fabricação do produto que é referência para o mundo inteiro: o vinho francês!
As caves que abrigam hoje o Museu do Vinho de Paris é considerado o local perfeito para guardar as melhores garrafas de vinho.

Não é atoa que o museu é hoje um dos principais centros de formação profissional para enólogos e sommeliers de todo o mundo. São oferecidos cursos de degustação, conferências e noites temáticas, tudo com o objetivo de transmitir todo o conhecimento sobre os melhores vinhos franceses. 

O Museu abre de terça à domingo das 10h à 18h e possui, além das visitas, degustação de vinhos a preços que podem variar de acordo com o valor pago pelo ingresso.

Em uma visita à Paris, o Museu do Vinho é sem dúvida alguma um dos lugares indispensáveis para conhecer. Este é mais um passeio que seus clientes podem fazer com todo o conforto e segurança utilizando os serviços da Minha Paris.

Lourdes: lugar de fé e harmonia com a natureza

Lourdes é, sem dúvidas, um dos santuários cristãos mais conhecidos e visitados em todo o mundo. A cidade, que fica a 850 km de Paris, está localizada no sudoeste da França, sendo também a porta de entrada para os vales dos rios Arrens, Cauteres, Ossau e Gavarnie.

O santuário de Lourdes recebe aproximadamente 6 milhões de visitantes por ano, o que coloca a cidade entre os principais destinos do turismo religioso mundial. Muitas pessoas vêm apenas para conhecer o famoso local e sua história, mas a grande parte delas busca pedir ou agradecer por algum milagre recebido, como a cura de uma doença ou outra graça alcançada por intermédio de Nossa Senhora de Lourdes.

É importante destacar que Lourdes é um destino que possui uma estrutura invejável para receber os peregrinos de todo o mundo, contando inclusive com mais hotéis per capita do que qualquer outra cidade lugar da França.

História de Lourdes

Foi em janeiro de 1858, que a menina Bernadette Soubirous, na época com apenas 14 anos, afirmou ter tido visões da Virgem Maria em uma gruta rochosa. Segundo ela, orientações divinas a conduziram até uma fonte na Frotte de Massabielle. A última visão tida pela garota foi em 1862 e desde então milhares peregrinos visitam a gruta diariamente para encher garrafas, deixar suas homenagens, presentes, símbolos dos milagres alcançados, etc.

Muitas pessoas visitam também a casinha na Rue des Petits-Fossés, onde a menina viveu com a família. As visões de Bernadette foram reconhecidas pelo Vaticano e a garota foi beatificada em 1933. Foi construída uma igreja sobre a gruta, que conta com uma imagem da Virgem no nicho onde se deu a aparição.

Outros locais importantes para visitar são a Basilique du Rosaire, construída em honra de Bernadette em 1889, e a Basilique de Saint Pie X, que é uma igreja subterrânea que foi consagrada em 1958, ano do centenário das visões. Esse templo pode abrigar cerca de 30 mil pessoas. Ao redor do local, há várias construções e monumentos em homenagem à Bernadette - é o Santuário Notre-Dame de Lourdes.

No entorno da cidade também existem outros lugares interessantes para fazer uma visita, como as cavernas (cerca de 15 km ao sudoeste); o Pic du Jer, que é uma montanha de 95 metros de altitude que fica perto da cidade. Vale lembrar que as atividades religiosas e de ecoturismo da cidade funcionam melhor entre abril e outubro, quando o clima está mais agradável para a realização de atividades ao ar livre (como missas e procissões à luz de velas).

Você pode conhecer o santuário de Lourdes e diversos outros lugares incríveis da França com a Minha Paris, sempre com todo o conforto e segurança que você merece!

Uma viagem na história em Fontainebleau e Barbizon

Se tem um destino que não pode faltar em uma visita à região parisiense é o Castelo de Fontainebleau, aproveitando para conhecer a deliciosa cidade de Barbizon. Localizados a 70 km da capital francesa, o Chateau Royal de Fontainebleau é um dos maiores castelos reais da França, sendo também o preferido de Napoleão Bonaparte. Já Barbizon é uma cidadezinha muito charmosa, conhecida como o local que antecedeu o impressionismo (marcado por artistas como Claude Monet). Saiba um pouco mais sobre o Castelo de Fontainebleau e Barbizon e não deixe de fazer uma visita! 

Castelo de Fontainebleau e Barbizon 

Localizado na cidade de mesmo nome, o castelo é o resultado de diversas intervenções arquitetônicas e artísticas de monarcas que lá residiram entre os séculos XII e XIX, de Francisco 1° até Napoleão III. Não há dúvidas de que conhecer o Castelo de Fontainebleau é fazer uma verdadeira viagem na história, descobrindo mais detalhes de como era a vida de diversos reis e rainhas da França. O acervo dispõe de diversos objetos e móveis das mais variadas épocas dos nobres que ali viveram. 

Em relação à arquitetura, a estrutura atual do palácio reflete as intervenções feitas por estes monarcas franceses, partindo é claro da estrutura inicial idealizada por Francisco I. O edifício principal estende-se em volta de uma série de pátios, tendo sido habitado regularmente durante aproximadamente 8 séculos. Foi o próprio palácio que deu origem à escola de Fontainebleau, que foi um movimento dominante da criação artística francesa até meados do século XVII. 

Barbizon é considerado como um lugar mítico que antecedeu o impressionismo na França. Cidade pequena e charmosa, ela foi construída em um bosque que ficava nos arredores do Castelo de Fontainebleau. Comuna intrinsicamente ligada às artes, Barbizon é conhecida como “a cidade dos pintores”. Suas ruelas estão repletas de galerias de arte, artistas e pessoas que amam esta forma de expressão artística. É um dos mais comuns destinos turísticos entre os parisienses que buscam de tranquilidade e lazer.

Você pode conhecer Fontainebleu e Barbizon com todo conforto e segurança com a Minha Paris. Conheça nossos serviços e aproveite o melhor de Paris e região!

Normandia: lugar de história e belezas ímpares

A Normandia é sem dúvidas uma das regiões mais belas de toda a França, o que muitas vezes pode ficar um pouco ofuscado pelo clima mais frio. Mas são inúmeras as suas belezas naturais e lugares históricos que podem ser visitados lá, com a possibilidade de se preparar os roteiros mais diversos. Foi lá que se passou o chamado Dia D, data em que aconteceu o desembarque das tropas aliadas na Segunda Guerra Mundial em 1944. 

Se você não conhece bem a região da Normandia, conheça alguns lugares obrigatórios para visita. 

Normandia

O Memoria de Caen, que é um museu sensacional, que conta de maneira esplêndida a Segunda Guerra Mundial, mostrando o antes, durante e depois. É a possibilidade de viver uma experiência histórica única, com acesso a filmes, fotografias e itens históricos da época (como aviões, tanques, armas e uniformes) que ajudam, explicando todo o contexto do conflito. 

Na mesma cidade você aproveita para conhecer o Château de Caen, castelo que fica na região central da cidade (capital administrativa da chamada Baixa Normandia). Ele foi construído ainda no século XI e é considerado um dos maiores e mais bem-preservados castelos de toda a Europa. 

As Praias do Desembarque (debarquemént), são vários os pontos onde aconteceram e a maioria ainda têm alguns resquícios dos navios e portos artificiais da guerra. As principais são: Omaha (onde fica o Cemitério Americano), Utah, Gold Beach, Juno e Sword Beach. Lá você também pode conhecer bunkers (como em Point du Hoc) e Arromanches-Les-Bain (Gold), praia que possui os portos artificiais mais bem conservados.

Já Deauville é sem dúvidas a cidade mais charmosa, com suas construções lindas em frente à praia. É lá também que está instalado o cassino mais famoso da região, aberto ainda no século XIX. Sua vizinha Trouville completa a visita, que conta com um comércio variado e ótimos restaurantes.

Honfleur é uma cidade portuária cujo encanto e paisagens inspiraram diversos pintores impressionistas. Inclusive, foi lá mesmo que foi fundada a Escola Impressionista, que contou com Claude Monet, Eugéne Boudin e William Turner.

Não podemos nos esquecer do Mont Saint-Michel, que é o segundo lugar mais visitado na França, perdendo apenas para Paris, e do qual já falamos aqui. Sem dúvidas ele dispensa comentários.

Lembrando que você pode visitar toda a Normandia e as demais regiões francesas com a Minha Paris. Conheça nossos serviços e conheça a França com todo o conforto e segurança!

 

A Páscoa na França: um pouco diferente do que conhecemos

Se você está acostumado a receber os ovos de páscoa no domingo, saiba que Páscoa na França tudo isso acontece de maneira um pouco diferente. A começar pelo feriado, que não é comemorado no domingo, mas na segunda-feira (Lundi de Pâques).
Na verdade, mesmo os sinos das igrejas, que todos os dias soam para convidar os fiéis para as missas, durante a chamada Semana Santa ganham outra rotina. É uma tradição seguida há séculos, onde os sinos silenciam na quinta-feira e continuam assim até o sábado à noite. Somente no domingo eles voltam a soar, sendo chamados de Les cloches de Pâques.

Assim como acontece no Brasil, a Páscoa é também comemorada presenteando amigos e familiares com chocolates, principalmente os famosos ovos de Páscoa. É uma festa para a criançada, que fica agitadíssima com as brincadeiras de encontrar os ovos escondidos pela casa. É realmente uma grande festa! 

Muitas famílias que moram em Paris aproveitam o feriado prolongado para visitar os parentes em outra cidade ou mesmo para descansar em outra cidade, uma forma de fugir um pouco da agitação da cidade grande. O mais importante de tudo é viver cada momento da Páscoa com alegria, de uma maneira verdadeiramente doce.

Brasil e França unidos pelo sabor

Os laços entre a cultura Brasileira e a Francesa estão se fortalecendo cada vez mais, principalmente pelo grande número de turistas das duas nacionalidades que viajam entre os dois países. Mas não é só na memória e nas bagagens das pessoas que estas culturas ganham lugar. Durante a Feira do Livro de Paris 2015, foi realizada a sexta edição do Cozinhando com Palavras, um evento que pretende ampliar ainda mais o diálogo entre a Gastronomia e a Literatura, aumentando ainda mais o intercâmbio cultural entre Brasil e França. 

Nesta edição o Brasil foi o país homenageado, com m destaque especial para a Gastronomia Mineira. Durante os quatro dias do evento, os chefs Ivo Faria, Leo Paixão, Elzinha Nunes e Ari Kespers apresentaram receitas e produtos que compõem nossa rica gastronomia. Foram realizados também dois jantares exclusivos no Restaurante Le Parió, nos quais os chef’s se dividiram em duplas e promoveram uma experiência única aos convidados e mostraram as delícias da Gastronomia Mineira. 

Livro destaca a cozinha de Minas 

O Cozinhando com Palavras foi também o local escolhido para o lançamento do belíssimo livro Le Brésil de Minas Gerais - Gastronomie et Tourisme. Trata-se de uma seleção de receitas típicas da Gastronomia Mineira, com destaque também para os Destinos Turísticos do Estado. A obra foi editada em português e francês, sendo considerado um convite para desfrutar Minas Gerais. O livro é de autoria dos Chef’s sob a curadoria de André Boccato e conta com o apoio do Governo de Minas Gerais, além do patrocínio do Sistema FIEMG, Sebrae/MG e Sistema Fecomércio Minas. A Minha Paris também apóia esta iniciativa!

 

Arco do Triunfo de Paris é atração inevitável na cidade

Quem vai à Paris já possui pelo menos um roteiro básico, incluindo é claro uma visita ao Arco do Triunfo. E isso acontece porque este é um dos pontos turísticos mais visitados da Cidade Luz, ao lado da Torre Eiffel e do Museu do Louvre. O que muitas vezes acontece também é de as pessoas visitarem sem nem mesmo conhecer o seu significado. 

Por isso, vamos contar para você um pouco mais sobre a história desse monumento, para que você faça uma visita mais consciente do Arco do Triunfo quando estiver em Paris.  

História do Arco do Triunfo 

Foi uma ideia dos romanos criarem um monumento parecido com um arco para celebrar e eternizar as suas vitórias militares. Seguindo esta mesma linha, o Arco do Triunfo francês foi construído com o objetivo de enaltecer a vitória do imperador francês Napoleão Bonaparte na Batalha de Austerlitz, em dezembro de 1805. Após prometer aos seus comandados ainda no campo de batalha, o monumento começou a ser construído em 1806, mas só pode ser finalizada em 1836, por causa da derrota do Império de Napoleão na Batalha de Waterloo, em 1815. 

O Arco do triunfo foi oficialmente inaugurado em 1836, 15 anos após a morte de Napoleão (1821). Ele foi projetado por Jean Chalgrin, tornando-se uma espécie de símbolo de patriotismo e motivo de orgulho para os franceses. Situado na Place Charles de Gaulle, no alto da Avenida Champs Élysées, o Arco do Triunfo se destaca com os seus 50 metros de altura. 

O monumento se tornou um ponto especial para o início das paradas militares, manifestações populares e, claro, visita de turistas. Cada escultura em altos-relevos, baixos-relevos ou inscrições inseridas no Arco do Triunfo possui um significado. Entre elas se destaca a que ilustra a Partida dos Voluntários de 1792, também conhecida como “A Marselhesa”, esculpida por François Rude em 1833. Ela representa a Pátria-mãe com as asas abertas e estendidas, como se estivesse chamando ou motivando os voluntários para que se unam e lutem pela França. 

Com o objetivo de comemorar o Dia do Armistícios (1921), que marca o fim da Primeira Guerra Mundial, foi construído embaixo do Arco do Triunfo o “Túmulo do Soldado Desconhecido”, que é onde foram depositadas as cinzas de um soldado morto na Primeira Guerra. Se você for visitar este monumento, não deixe de entrar nele e visitar o museu e todas as demais obras que contam a história desta importante construção. Além disso, a vista do alto é maravilhosa e permite ter uma visão panorâmica de toda Paris.

Normandia: Uma das mais belas regiões francesas

A Normandia é uma importante região francesa, tanto no contexto histórico, por causa dos diversos acontecimentos que tiveram suas praias como palco, quanto para o turismo, que cresce a cada ano. Não há quem não fique maravilhado diante da imponência do Monte-Saint-Michel, ou mesmo ao passear pelas praias nas quais aconteceram importantes eventos da história mundial.

Terra de paisagens variadas, a Normandia é uma região para ser explorada aos poucos, apreciando e vivendo cada momento único. Não muitos os atrativos, por isso, vamos tentar destacar os principais. 

Normandia

Estando na Côte d'Albâtre você vai se impressionar com os penhascos que marcam o território. Próximo ao rochoso cenário de Etrat, está a bela cidade portuária de Fecamp, onde você poderá encontrar o belíssimo Palácio Beneditine. Seguindo pelo canal ao longo da península de Contentin, é possível apreciar uma paisagem única até chegar ao famoso Monte de Saint-Michel. 

Já em Orne, perto de Alençon, está situado o Parque Regional da Normandia e do Maire e Peche. Seguindo viagem você chega à Rouen, cidade que possui uma herança histórica riquíssima. O famoso quarteirão medieval e suas casas típicas de madeira vão levar você diretamente ao tempo de Joana D'Arc. Outra cidade portuária de grande importância na região é Le Havre, que foi classificada como monumento mundial pela Unesco. 

Profundamente afetada pela Segunda Guerra Mundial, a baixa Normandia é um convite a uma espécie de "peregrinação militar". O memorial Caen, o museu D-Day (Dia D) e o Museu Memorial na praia de Omaha são locais de visita obrigatória. 

Já a Basílica de Santa Thérese de Lisreux é o segundo maior local de peregrinação de França (ficando atrás apenas de Lourdes). É nesta região também que se encontra Hanfleur, que com sua igreja de Santa Catarina (pintada por Monet e Courbet), atrai grande número de turistas. 

Mas não é só de paisagem e história que a Normandia vive. Sua gastronomia é também marcante, tanto que ganhou um evento importante que se chama “Fête do Ventre” (Festa da Barriga), que acontece em Rouen. Muitas especialidades deliciosas vêm da Costa de Channel, tais como escalopes e ostras Contentin. 

A Normandia é mesmo um dos lugares que você não pode deixar de visitar. Conheça os passeios e serviços da Minha Paris e embarque nesta viagem pela história e gastronomia da Normandia!

Gorjeta: mais do que um “merci”, um ato de gentileza

Em todas as regiões francesas há um costume de se dar gorjetas aos garçons ao pagar pela refeição, mesmo que tenha sido apenas um cafezinho. Não é obrigatório, é claro, mas trata-se de uma maneira demonstrar o quanto você ficou contente pelo serviço prestado. Ou seja, é um petit cadeau para a pessoa que acaba de lhe atender.

Atualmente, existe um senso comum que afirma que os garçons em Paris são mal-humorados, que não atendem bem e que, portanto, não merecem gorjetas. Mas não é bem assim como dizem. Bons atendentes existem em todos os lugares do mundo, assim como aqueles que não praticam um bom serviço. Sempre precisamos contar com um pouco de sorte quando chegamos a um restaurante e na Cidade Luz não é diferente.

Por isso, deixe de lado o que os outros dizem e viva a experiência você mesmo! Fique atento ao atendimento que você recebe em um restaurante, por exemplo. Faça o teste e retribua a gentileza do garçom com algo além do bom e velho merci. Esta é uma forma de agradecer e reforçar a importância do bom atendimento em um estabelecimento.

Não há um valor definido para a gorjeta, apesar de que, normalmente, as pessoas sempre dão algo entre 5% e 10% do valor total da conta. O mesmo vale para os demais serviços de turismo, como os hotéis por exemplo. Tudo vai depender do atendimento que você está recebendo, da gentileza e atenção dos funcionários com os seus pedidos e necessidades.

Mas lembre-se sempre: o mais importante é aproveitar o máximo que Paris tem para oferecer e tornar sua estadia na Cidade Luz realmente inesquecível!