Monte Saint-Michel: beleza ímpar que resistiu ao tempo

O Monte Saint-Michel foi erguido sobre uma ilhota granítica, bem no meio de uma imensa baía invadida pelas maiores marés da Europa, se tornando um lugar especial para a história francesa. Ele está situado na parte sudoeste do departamento da Mancha e da região da Baixa Normandia, sendo uma importante comuna da França.

O lugar atrai turistas de todo o mundo, tanto por sua história quanto pela beleza ímpar. É o terceiro ponto mais visitado por turistas em toda a França, ficando atrás apenas da Torre Eiffel e do Castelo de Versalhes. Patrimônio Mundial da Unesco, o Monte Saint-Michel recebe cerca de 3,5 milhões de visitantes por ano.  

Segundo conta a história, foi a pedido do Arcanjo São Miguel, "chefe das milícias celestes", que o então bispo de Avranches, Aubert, mandou construir a primeira igreja no local, que foi consagrada no dia 16 de outubro de 709. Após a instalação da comunidade de beneditinos em 966, a pedido do Duque da Normandia, foi erguida a igreja pré-românica, ainda antes do ano mil. Já no século XI, a igreja abacial românica foi fundada sobre um conjunto de criptas, no nível do pico do rochedo, juntamente com as primeiras construções conventuais.

Foi uma doação do rei de França Filipe Augusto, no século XIII, que permitiu a construção do conjunto gótico do Monte Saint-Michel, conhecida como “a Maravilha”: dois edifícios de três andares, coroados pelo claustro e pelo refeitório, que constituíam o verdadeiro lugar de vida dos monges. A Guerra dos Cem anos Nos séculos XIV e XV levou à implantação de construções militares para a proteção da abadia, o que permitiu resistir a um cerco de mais de trinta anos. Destruído em 1421, o coro românico da igreja abacial foi substituído pelo coro gótico flamboyant no fim da Idade Média.

O Monte Saint-Michel foi transformado em prisão sob a Revolução e o Império, o que permitiu a implantação de uma política de restauração a partir de 1862. Foi nesta época (1897) que uma estátua de bronze dourado, representando o santo epônimo a derrubar o dragão foi colocado no ponto mais alto da igreja, a 170 metros acima do nível do mar.

Com uma superfície de cerca de 500 km², a baía do Monte Saint-Michel é considerado a mais vasta extensão francesa de prados salgados e de pôlderes, se diferenciando pela excepcional amplitude entre a maré alta e a maré. Além disso, é grande a diversidade de ambientes naturais presentes na região, que conta com uma fauna, flora e luzes deslumbrantes.

Na parte sul do rochedo e cercado por muralhas erguidas nos séculos XII e XV, o vilarejo conta com grande número de casas, que também são consideradas como monumentos históricos, além de pequenos museus e comércio voltado para o turismo. É possível experimentar também uma culinária típica do local, como o cordeiro de prado salgado ou a omelete da Mère Poulard, cujo albergue foi aberto em 1888 e mantém a tradição até hoje.

Se você também quer admirar de perto toda a beleza e história do Monte Saint-Michel com conforto e segurança é só consultar os passeios da Minha Paris para esta e outras regiões!