Montmartre: religiosidade e boemia na mesma região

A região de Montmartre é um dos lugares mais visitados de paris e também atiça a curiosidade dos turistas. Isso acontece porque é lá que está situada, no ponto mais alto, a Basílica de Sacré Coeur (Sagrado Coração), uma das mais belas e significativas para a fé dos católicos que buscam em Paris fortalecer a sua fé. Por outro lado, os arredores também são conhecidos pela boemia, pois é lá que estão concentrados um grande número de bares, restaurantes, cafés, sex shops e cabarés, como o Moulin Rouge.  

Além disso, é possível também encontrar praças tranquilas para passar as tardes, pois se trata também de uma região residencial. É em uma dessas praças que está situada a parede onde foi escrita a expressão “Eu te amo” em todas as línguas do mundo. A obra fica dentro de um pequeno parque em frente à praça, que conta também com um carrossel. É possível ficar observando também muitas crianças brincando no local. 

Montmartre 

Nesta região você pode encontrar pequenos e encantadores museus e um punhado de teatros. A colina de Montmartre (monte dos mártires) está situado ao norte de Paris, ficando 129 metros acima do nível do mar. oficial de maior monumento religioso de Paris, A Basílica de Sacré Coeur surpreende a todos, tanto por sua beleza quanto por se tratar de um dos melhores pontos para ter uma visão panorâmica da cidade. O acesso pode ser feito pelas tradicionais escadas, por ônibus ou mesmo caminhando pelas ruas curvas e estreitas por trás da colina. 

A colina de Montmartre recebeu este nome por ter sido o lugar do martírio de Saint Denis, o primeiro bispo de Paris (ainda no século III), e seus companheiros. Foi também lá o lugar escolhido por Santo Inácio de Loyola, São François Xavier e seus companheiros para fundar, em 1534, a Companhia de Jesus (Jesuítas). 

A construção da Basílica de Sacre Coeur teve início por volta de 1875. O motivo ainda gera dúvidas. Há quem diga que foi tentativa de pedir perdão a Deus pelas faltas cometidas, visto que a França vivia uma guerra contra Alemanha e estava com a relação desgastada também com o Vaticano. Muitos consideravam estes problemas como um castigo de Deus. 

Outros relatos apontam que a construção foi o pagamento de uma promessa feita por Alexandre Legentil e Hubert Rohault de Fleury, se caso a França conseguisse suportar as investidas do exército alemão na época. Fato é que em 1919 foi consagrada Basílica e, a partir daí, se tornou um local sagrado para os peregrinos. Consulte o site Minha Paris e saiba como fazer os melhores passeios em Paris e região com todo o conforto e segurança.